Poema vermelho

vermelho

 

Por Anderson Estevan

Publicado também em Outras Estórias

Sabes que por cada fio, cada célula
pétala de bem ou mal me quis
Segundo errante em que o desejo impera
eternamente intenso, céu cor de anis

Sou teu de carne e alma
espero que sejas também minha
entre os poucos segundos de calma
e nem quando se for estará sozinha

Fala de amor que respondo com palavras
com sonetos, trombetas, milagres
ou em provas, juras
poemas vermelhos

Guia-me no escuro, entre as rochas
e me conduza até o teu peito
Em perfeita sintonia,
para que possa alcançar o céu

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s