Professores e Bolsonaro

Já faz algum bom tempo que um vídeo, mostrando um professor ameaçando tirar 2 pontos da nota de alunos que falassem sobre Bolsonaro, viralizou na internet.

Por incrível que pareça eu só o vi a alguns dias. Pensei sobre o assunto e visualizei a gravação várias vezes, decidindo assim que seria importante escrever, sobre, aqui no blog.

Não vou entrar no mérito de falar em relação a atitude do professor. O mundo não é um binarismo de certo ou errado, onde existe uma cartilha sobre como viver a vida. Aquele foi um momento no qual, emocionalmente fragilizado, o senhor professor perdeu completamente o controle da situação e precisou se expressar da forma que conseguiu. A questão aqui é refletir sobre como seria estar na pele daquele homem.

Para um educador chegar ao nível de estresse, demostrando no vídeo, é por ter muito a dizer e sentir. E me deixa triste a forma na qual como isso é ironizado.

As questões políticas por muitos são irrelevantes e por outros tantos o que importa é apenas sua própria opinião. Isso é raso. Opinião não se constrói a partir de “achismos“. É preciso ter base e argumentação, não apenas convicção e fé.

O pior é o julgamento online que colocou o professor como petista comunista e afim apenas para desqualifica-lo, como se fosse preciso ser militante de esquerda para ser contra um boçal como o “Mito”.

Vou deixar o link do vídeo aqui para cada um poder refletir sobre o caso e depois vou escrever sobre essa monstruosidade que se chama “Respeitar minha opinião” que está servindo de muleta para justificar alienação com Democracia.

Anúncios

Coisa solta

Pois preste atenção!
E tome nota em seu dicionário.

Quando um Amante distante
Diz viver a mais plena felicidade,

A verdade é que está a sentir Saudades…

Salve as Almas!

Numa noite de Sexta, a muitos anos atrás, me aconteceu um episódio muito interessante.
O terreiro, como sempre, estava com aquele calor e aroma aconchegante advindo da defumação, os médiuns trabalhavam incorporados quase em silêncio. Era noite de preto(a) velho(a). Noite de calmaria. De olhos tranquilos que levam o peso da historia.
De olhos severos que direcionam as almas.
A “Vozinha”, que estava a minha frente, sempre mantinha um sorriso singelo no rosto. Por todas as vezes que me sentei para uma consulta trazia comigo uma coleção de erros e arrependimentos e ela, com todo o carinho do abraço, sempre me ensinou a levantar a cabeça e olhar para frente, a me focar em ser melhor e aprender com o erros.
Mas não me vem em mente o assunto que tratava na noite em questão e o que de mais incrível aconteceu de forma inesperada.
Ela com toda gentileza e com as mãos pouco trêmulas me ofereceu o café que estava em sua pequena xícara. Aceitei de bom grado e bebi. Logo o gosto amargo e forte tomou conta de toda a minha boca. Naturalmente meu rosto se retorceu por inteiro. Era simplesmente HORRIVEL kkkkk.
Qnd terminei fiquei em silêncio em respeito a entidade que estava em minha frente. Ela sorriu e perguntou: Está amargo ZinFio?
Acenei em sinal de positivo com a cabeça.
Ela então fez do seu semblante um rosto sério e respondeu: pois a tanta coisa amarga nesse mundo, que fazem esse café parecer doce como mel.
Por um instante eu refleti. Logo levei a xícara novamente a boca. Dessa vez não houve careta nenhuma.

Muitas vezes criamos grandes monstros e demônios que nos auto sabotam. E muitas vezes isso acontece por falta de consciência ou compreensão do que está em nossa volta, do que está dentro de nós. Às vezes falta paciência… Reflexão.
Hj todas as manhãs eu me sirvo de café amargo para nunca esquecer da lição aprendida naquela noite de sexta. E por incrível que pareça eu aprendi a encontrar o sabor até mesmo no amargo da bebida.

#SalveAsAlmas #Atôtô

Emil Cioran

 

cioran

No momento em que se pensa ter compreendido Tudo,
Se adquire no rosto uma expressão assassina

De alguma coisa

Não há como compreender Tudo,
No edifício do Pensamento
Eu não encontrei nenhuma categoria
Em que pudesse pousar a cabeça

Em compensação
Que belo travesseiro
É o Caos

– Emil Cioran

Maturidade

tempo

Maturidade tem haver com o poder de enxergar a realidade e deixar de lado a fantasia.

É triste enxergar mais os tons de cinza ao invés de poder brincar entre as cores, não exatamente o preto no branco isso seria depressão. Mas assim como chocolate meio amargo é possível apreciar aquilo que não é doce.

Ser Maduro é ter passado, como nas frutas, pelo seu desenvolvimento para logo começar sua putrefação. É já ter caído da arvore e carregar consigo as marcas da queda. Não ter mais a sombra e a proteção das folhas, a segurança dos galhos e a alimentação vinda da Mãe arvore. Ser obrigado a arrancar suas sementes de dentro e faze-las cavar raízes profundas.

Quando deixamos de nos importar com palácios e os mais belos e grandiosos cenários iluminados, cheios de ouro e preços, podemos aprender a apreciar o quanto é bonito o canto de um único pássaro e o quanto este canto vale mais a pena do que qualquer arranha-céu erguido. Aprendemos que o prazer da brisa numa manhã de sol é mais agradável do que qualquer toxina intravenosa que seu dinheiro pode pagar.

Maturidade é quando percebemos que o riso dado com alguém é muito mais gostoso do que quando rimos de alguém. Deixar de lado mesquinharias, sabendo se colocar no lugar do outro é nobreza. Preferir aprender com alguém ao invés de querer se impor a ela é sabedoria.

Eu ainda tenho muito a amadurecer e não posso me esquecer.

Pedaço de um Conto

Tô re postando esse pedaço de um conto meu que está a um bom tempo parado. Pra ver se me inspira em terminá-lo.

Crime sem Castigo

dadada3

Por: Mauricio Lahan Jr

* Post meio grande.. É uma parte de um conto que estou escrevendo. Não é o começo e nem o fim, então talvez fique meio sem sentido algumas partes. Mas estou sem inspiração para criar algo novo entãaaaooo decidi dividir um pouquinho daquilo que já estava preparando. Tenham paciência.. Leiam tudo por gentileza e me digam suas opiniões sobre ~~

“- Que nova ordem é essa?
– É que nós, por assim dizer, estamos mortos, Excelência.”

Bobók, Fiódor Dostoiévski

*Ploc, Ploc, Ploc*

Esse é o barulho que seu salto faz enquanto caminha. Um passo de cada vez, firme e confiante. Sua postura é elegante, seu terninho é justo. Cabelos curtos, muito bem arrumados, lisos e presos. Seus óculos estão um pouco caídos em seu nariz, desta forma ela sempre te olha de cima para baixo, mesmo sendo uma mulher de estatura baixa sua posição permite que…

View original post mais 399 palavras

A dificuldade de escrever um Conto.

Aaaaaarrrrrgghh!!

Como escrever um conto é difícil! Você passa horas na frente do teclado e nada sai. Você escreve e escreve e tudo parece um lixo. Tem preguiça de ler o que escreveu e suas melhores ideias surgem quando se está amassado no metrô indo pro trabalho.

Parafraseando Haruki Murakami, digo que existe um certo limite para que se pode escrever para alguém como eu que está mais vendido a um escritório do que disponível para aquilo que gosto.

Mas nada disso em si serve de desculpas. A melhor forma de se escrever um conto é justamente escrevendo. Mesmo que seja uma frase por dia. Escreva, escreva e escreva mais e mais. Se ficar um lixo escreva de novo. Faça 100 contos horríveis se for preciso para que 1 deles saia bom.

Essa é a ideia! O trabalho duro pode superar até mesmo uma mente genial. E esse vai ser meu mantra. Eu revivi o Crime Sem Castigo para justamente escrever, seja para o que for e pelo que for. Não tenho nenhum tema central mas espaço vai servir para que eu possa todo dia trabalhar com as palavras.

Espero que gostem dos meus conteúdos e que concordem comigo sobre o essencial para se produzir um conto. Vou continuar escrevendo todos os dias e espero que um dos melhores dias ainda chegue até mim.