8 Anos sem Michael

michael

Há 8 anos neste mesmo 25 de Junho em 2009 o Rei do Pop estava nos deixando. A luzes de sua arte, roupa e voz, que o tornavam uma Estrela da Musica, agora brilhavam novamente no em retorno ao Universo.

Infelizmente eu não posso me considerar um fã de Michael Jackson. Mesmo adorando suas músicas eu fui ter contato de verdade com elas apenas após a repercussão de sua morte. Na época dos anos 2000 eu era focado em um momento “Rock Adolescente Retardado” dos mais variados e tinha um pré conceito babaca com a música pop. Foi a partir de Michael que comecei a apreciar até mesmo Madonna e outros estilos de música (não que seja um paralelo que faça sentido mas acho que da pra entender a ideia haha).

Hoje vou deixar aqui 8 músicas, das que mais gosto, como uma playlist pra curtir o Domingo com Michael (:

I Want You Back!

Não da pra começar uma lista de Michael sem I Want you Back. Essa é sem sombra de dúvidas, segundo minha opinião própria – que não tem valor nenhum -, a música mais famosa antes da carreira solo. Quando se fala de Jackson 5 é sempre a primeira – e muitas vezes a única – musica que vem a cabeça.

Beat It!

Beat it é uma das minhas favoritas. Esse estilo de guerras entre gangs me faz lembrar de The Warriors e a batida dessa música é sensacional haha

Thriller

O modelo de vídeo clips existe na história de duas formas: Antes de Thriller e depois de Thriller. Essa fantástica obra prima é divertida e emocionante. A letra é envolvente e FODA! Perfeita mistura de musica com temáticas geniais. Essa ligação de fazer o Clipe ter um sentido ligado a música, contando uma história é praticamente revolucionário para a forma de se fazer música. Uma genialidade de Michael que inspirou toda a geração posterior a Thriller.

Smooth Criminal

Se vamos falar de vídeo Clipes e histórias não podemos esquecer de Smooth Criminal! Esse foi na minha humilde opinião o clipe mais bem feito e trabalhado na carreira de Michael. Além de claro ser a cena de um filme sensacional que foi Moonwalker. Tem algo mais genial do que você ser um Extraterrestre que defende crianças de um traficante de drogas com a mágica da música e da dança?

Black or White

Chegamos a essa maravilha dos anos 90. O maior single daquela década! Black or White veio como uma forma de enfrentar as discussões que a mídia fazia sobre a mudança da cor de pele de Michael. O Hit explodiu e se tornou a segunda maior obra do autor. O clipe é fantástico com reviravoltas nas batidas e no ritmo. Além de fazer uma mistura de  Macaulay Culkin, Africa, Japão, a guitarra do Slash e os Simpsons.

They Don’t Care About Us

“Michael! Michael, eles não ligam para a gente!”. They don’t care about us tem a intenção de falar sobre injustiças sociais e até aquele toquezinho de que o Sistema não se importa com a gente – obviamente é minha interpretação que possa gerar um monte de mimi mas não me importa. A parte fascinante neste clipe é ver o Rei do Pop usando a camiseta do Olorum! Um clipe gravado no Brasil com uma banda que representa um traço cultural maravilhoso de nosso país, com seu som de batidas incorporados como a base da música. É apresentar a Bahia para o mundo! Dizem que a parte legal é que o Olorum nada tem haver com o estilo das musicas e o pop Michael, mas é ai que eu vejo o contrario. Michael não tinha um estilo pré definido. Ele se re-inventava!

We Are The World

A penúltima que irei postar é We are the World. Essa música tem um peso e uma importância diferenciada. Ela foi idealizada com o intuito de criar um projeto de arrecadação de verba para o combate a fome na África. Foram convidados dezenas de artistas da musica Norte Americana em evidencia na época para grava-la e criar um álbum de único single. Parece que bateu mais de 50 milhões de Dólares arrecadados. O titulo da música ja diz muito sobre o sentido de sua criação e é carregado de um sentimento social de nos identificarmos uns com os outros e tentarmos ao máximo desfazer nossas fronteiras.

Billie Jean

Chegamos a última das 8 músicas que selecionei para o dia de hoje e obviamente não poderia ser outra não é? Billie Jean foi o maior Sucesso de Michael! Uma musica que conquistou diversos prêmios em muitos países na década de 80. Foi o primeiro clipe de um artista Negro que passou na MTV e levou o Álbum Thriller a se tornar um dos maiores álbuns da história da música no mundo. O vídeo que selecionei não é o vídeo clipe oficial mas é conhecido por ser a apresentação onde Michael estreou seu “MoonWalker“, sua marca registrada.

 

E aqui chega o fim desse post enorme mas muiitoo maravilhoso (:
Eu gostaria de ter postado mais cedo para todo mundo passar o dia ouvindo Michael, mas não rolou ):
Espero que ainda de tempo de curtir o domingo ouvindo o Rei do Pop ❤

Take a shot in the rain

mechanical-bull-W320

Tirei uma pequena barra de chocolate do bolso de meu moletom amarelo e preto. Abri facilmente a embalagem e comecei a mastigar aquele pedaço borrachudo.
Cobri a cabeça com a touca do agasalho quando senti os primeiros respingos da garoa. Acomodei os fones de ouvido e guardei o celular no bolso da calça. A musica alta ajudava com o foco da minha atenção.

“Take a shot in the rain”

Ao longe uma menina caminhava em paralelo sem me perceber. Ela me dá apetite de luta.
Vestindo uma saia preta curta com meias longas escuras por baixo, uma camiseta vermelha e uma jaqueta jeans por cima. Cabelos negros, um corte até a altura dos ombros com uma franja na frente.
Ela não passava dos 1,75 de altura. Um corpo de curvas leves, magro e delicado. Talvez fosse um desenho.

“Wait for me”

Eu vi uma foto sua na frente do espelho. Estava escondendo o rosto mas deixava escapar o sorriso no reflexo. Olhos ao chão, levantava com leveza a perna, um passo de bailarina. Estendia o braço direito para baixo e o esquerdo ao alto, mas suas mãos estavam soltas, talvez imaginando um par para guia-las.
Aquela foto em preto e branco, colorida pelo seu sorriso.

“it’s all better now”

As vezes tu virava o rosto enquanto caminhava, no momento em que me percebeu lhe ofereci um riso sem jeito, em troca levantou as sobrancelhas e apertou os lábios como quem dá um “Olá” educado a um estranho de forma simpática.
Você me parecia tão sozinha. Eu queria poder ajudar. Talvez tenha te assustado.

“Gonna be who I am”

O melhor que posso fazer é te olhar por ai.

Tatiane

unnamed.png

Hoje
Ao descansar das ruas
Quando apenas as criaturas noturnas estavam despertas
Recorro ao colar em meu pescoço.

Das diversas cores
Foi o branco que levei aos lábios
Rogando perdão pelo azedume amargo no peito.

Da espada julgadora em mãos
Me vi transtornado, confuso em lamentação.

Pois triste é aquele que se permite fazer do Amor a raiva.
Esquece tudo em que acredita
E se perde por mal dizeres.

Faz de si acusador
Perdendo o calor do colo
Carinho que outrora sempre soube oferecer.

Injusto é o sentimento
Que te faz errado por te-lo direito de sentir.

Vento em Esperanto!

vento

Por: Mauricio Lahan Jr

Eu não fico pedindo comentários nos meus textos (isso aconteceu apenas uma vez) mas dessa vez eu gostaria que todos que pudessem ler esse post fizessem um comentário sobre o trabalho do pessoal que vou apresentar aqui 😀

Fiz uma pequena entrevista com o vocalista de uma banda do caralho que conheci! Eeeeeeee acho realmente importante divulgar, apoiar e incentivar o sonho de bandas independentes, afinal este um dia foi o meu sonho também ~~

  • Vamos la! Qual seu nome e o que te motivou a tocar numa banda?

Olá, eu sou o Vitor Hugo, sou vocalista e guitarrista da Vento em Esperanto. Bom eu sempre tive uma “quedinha” por musica, desde pequeno eu já cantava e fazia altos barulhos em casa. O ambiente onde moro sempre foi cercado por musica, das mais variadas. O meu irmão mais velho foi membro de um grupo musical e eu sempre quis aquilo para mim. Então desde pequeno eu sentia que a musica me trazia sentimentos diferentes.

  • Quantos integrantes fazem parte do Vento em Esperanto? Pretendem aumentar o numero?

A banda é bem grande, o formato principal conta com 4 membros e mais um amigo no trompete, agora vamos contar com mais uns companheiros que iram gravar o próximo disco conosco.

  • Foi você que teve a ideia de iniciar a banda?

Sim, eu tinha deixado minha banda antiga e partir para fazer um som novo.

  • Quem escreve as letras? E as musicas?

Bom, eu componho a maioria dos sons, mas os outros integrantes também possuem algumas letras. A melodia eu costumo compor junto com a letra, mas eles sempre ajudam a dar energia para o som.

  • O que você gostaria de adicionar a sua banda? Algo que você ainda sente falta.

Eu acho que quando um instrumento é bem tocado, quando conta com amor e dedicação, ele sempre soma no som. Independentemente de ter sido ou não usado naquele estilo. O nosso som me agrada muito, mas se pudesse contaria com mais instrumentos, formaria uma big Band.

  • Sobre o mundo da noite. Existe uma disputa grande entre bandas novas e bandas covers?

Não diria disputa, mas você tem uma espécie de tradição em diversas casas de show. Por exemplo, uma casa de show que costuma receber bandas que tocam apenas covers, ao receber uma banda que faz som próprio sofre um estranhamento. Muitas vezes aquele publico espera por “mais do mesmo” e não estão afim de ouvir novos sons. No nosso caso levantamos a cabeça e tocamos nosso som com a maior energia.

  • O FaceBook é Melhor que a Mtv?

A mtv revelava muita gente não é ? Muitos conheciam bandas por ali, mas sabemos que muitas coisas envolvem a entrada de uma banda na mídia( ate mesmo a mtv). Eu acho o Facebook um pouco mais independente, você convive com o acesso livre e, as vezes com pessoas que curtem seu som sem ter ouvido. Mas faz parte !

  • Como você define o estilo de suas músicas?

Eu tento, mas não consigo. Não tenho habilidade para isso. Porem, as pessoas já fizeram algumas definições, por exemplo: Pós-tropicalista, soul, blues, mpb, indie. Acho que somos um pouco de tudo isso.

  • Tem algo grande que você gostaria de conquistar pela sua banda?

Gostaria de conquistar pessoas, passar a mensagem, sentir que o nosso som possui um significado ou que desperta sentimentos.

  • Conte-nos 3 grandes inspirações

As três principais para mim são: Lenine, novos baianos e caetano veloso.

  • Bonus Stage! Se alguém gritar você toca Raul?

*Risos* Difícil, essa brincadeira sempre chega de uma maneira mais forte por que o baterista se chama Raul, então já deu para imaginar né ? Eu toco mais uma do Caetano e fica tudo certo.

  • Espaço aberto! Fale qualquer coisa que quiser ~~

Enfim, a Vento em Esperanto é uma banda nova, com ideias novas e que deseja conquistar o coração e ouvidos de muitos. Sempre faremos nosso som com dedicação e pedimos liberdade para aqueles que querem demonstrar o talento. Acho que temos que nos permitir mais, dar mais oportunidades. Tem uma galera boa por ai!

Foi muito bacana fazer essa entrevista! O Vitor foi muito receptivo e desejo todo o sucesso a galera e ao trabalho deles.. Agora quero todo mundo cantando comigo “Maaaaalllíiiccciaaaa” ~~

FaceBook: Vento Em Esperanto

Curtam e Compartilhem ❤

Nossa primeira Viagem

pin

Por: Mauricio Lahan Jr

* Okay, é mais uma com musica… Mas.. Sei la.. Da aquele play la embaixo antes 😉

O ponteiro estralava por volta de 115 km/h

A garota ao meu lado pegava um bolo de notas e o cheirava profunda e longamente. Depois jogava sua cabeça para trás e gargalhava alto, de forma gostosa como aquelas crianças que aparecem em virais de internet.

Estava com um vestidinho rodado, preto com bolinhas brancas. Sua franja estava bagunçada, devido ao vento da estrada, mesmo assim era lindo ver como combinavam seus cabelos negros, sua pele bem branquinha e suas tatuagens coloridas. Duas rosas na altura dos ombros e no centro de seus seios uma caveira sem mandíbula, apenas com a parte de cima do cranio. Ela era sexy e quente. Com um pequeno piercing de bolinha prateada no canto esquerdo do busso e um batom vermelho, que deixavam seus lábios enormes, completava seu estilo Pin Up usando um óculos grande e arredondado.

– Eu faço de tudo para te ver rindo deste jeito pelo resto da vida.

Ela sorri de forma leve e passa a mão nos pelos da minha curta barba.

Eu estou de terno, gravata, calça e sapatos pretos. Junto a uma camisa branca eram esses os itens do meu uniforme de motorista.

Com seus dedos finos ela puxa meu queixo tirando toda a visão da estrada ao me olhar nos olhos.

– Nós vamos Foder o Mundo Todo!

Depois do beijo, e uma forte mordida no meu lábio inferior, ela me solta e aumenta o som do Carro até o ultimo volume gritando:

– É a Nossa MUSICA Baby!

You Only Live Once do Strokes sempre foi a nossa preferida.

Já não importa mais as consequências. Os três milhões de reais que estavam guardados embaixo da cama do velho Mathias, dentro de um fundo falso no chão, estão agora em bolsas na traseira do carro e não há nada que eu possa fazer para mudar isso. Ele dizia que não confiava nos bancos. Uma velha mania para um velho com muito dinheiro.

Ela belisca minha bochecha e faz com que eu caia em mim novamente.

Balançando os ombros e o queixo faz algumas caretas cantando bem alto

I can’t see the SUNSHIIIINE!,
Ela aperta as mãos sobre o peito
I’ll be waiting for you, baby,
Fecha a cara
‘Cause I’m through

Decido entrar na onda e relaxar meus ombros, enquanto ela começa a jogar nossos RGs originais pela janela, levantar os braços e dançar nós cantamos:

– SIT ME DOWWNNN
SHUT ME UUUUP!!!
I’LL CALM DOWN,
AND I’LL GET ALONNNG  WITH YOU!

 

Foi em 1 de Junho de 2012

los

Por: Mauricio Lahan Jr

* Aquele Play bacana la embaixo 😉

-Cade seu RG?

-Eu não trouxe!

“Eu encontrei-a quando não quis
Mais procurar o meu amor”

Era assim. Totalmente imprevisível!

-Mas relaxa que a gente da um jeito de entrar de qualquer forma.

A casa estava cheia. Afinal os barbudinhos não tocavam mais juntos a muito tempo. Era o tipo de evento que você tinha obrigação de ir, pois talvez não houvesse outra oportunidade.

“E ninguém dirá que é tarde demais
Que é tão diferente assim
Do nosso amor a gente é que sabe, pequena”

Fomos até o bar. Pedimos uma Heineken e uma dose de Whisky, puro apenas com gelo. Voltamos ao meio do povo. Eu sorria, igual um idiota, para tentar relaxar. Pode parecer estranho, afinal tínhamos anos de amizade, mas eu ainda ficava meio sem jeito perto dela. Não sabia exatamente o que estava pensando, mesmo sempre me dizendo que eu a entendia como ninguém.

“Ah, vai
Me diz o que é o sufoco
Que eu te mostro alguém
A fim de te acompanhar”

A música era a melhor possível! Algo que estava em nós dois. Que nos fazia viajar longe. Que nos separava do resto do mundo.

Não me lembro bem se foi eu quem a puxou ou se foi ela que me enlaçou.

“Eu encontrei-a e quis duvidar
Tanto clichê, deve não ser
Você me falou pr’eu não me preocupar
Ter fé e ver coragem no amor”

Mas sei que estávamos bem juntinhos. Olhares fixos e sorrisos largos. Sentindo nossa respiração. E, sem ter como explicar, o lugar pareceu tão vazio. Só havia a musica. Cantávamos em nossas bocas. Aquela musica…

“Ah, vai
Me diz o que é o sossego
Que eu te mostro alguém
A fim de te acompanhar
E se o tempo for te levar
Eu sigo essa hora e pego carona
Pra te acompanhar”

É… Já se faz tantos anos. E no fim… acho que perdi a hora afinal.