Los Hermanos – 18/05/2019

img-20190518-wa00407913776898771383569.jpeg

Eu estava pensando em escrever sobre memória. Estou terminando o livro famoso do Kazuo Ishiguro e a algum tempo venho conversado com um camarada sobre a questão da memória e esse tema que em nossa opinião também foi tratado muito brilhantemente no filme dos Vingadores.

Mas decidi mudar de ideia. Pois pensando sobre o tema me veio em mente o ultimo Show da turnê do Los Hermanos que aconteceu em São Paulo no Allianz Parque.

Foi nesse momento que percebi como é bom revisitar algumas coisas do passado. Coisas que estiveram ao seu lado dia após dia. Que te acompanham e que estão ligadas a momentos e sentimentos, tendo a sorte de poder ainda ao longo de todos esses anos ter os mesmos momentos e sentimentos.

img-20190518-wa00251957715353286896295.jpeg

Fazia tantos anos que fui a ultima vez num show dos caras e já são tantos mais que ouvia as musicas dos seus 4 CD’s que a principio não parecia que seria uma noite espetacular.

Na verdade, eu já estava até enjoado de ouvir Los Hermanos. É uma das poucas bandas que conheço praticamente todas as letras de todos os CD’s. E como já tive a experiencia de ver um de seus shows então a “Hype” estava bem baixa.

Não tive pressa de ir ao show, chegar cedo para conseguir os melhores lugares ou ficar com o frio na barriga e a ansiedade, contando as horas para o evento. Mas isso foi antes de chegar no lugar…

 

img-20190518-wa00313874906512830012939.jpeg

Quando entrei no estádio estava acompanhado de uma boa galera. Um camarada da Faculdade, que na época foi o meu maior parceiro de estudos e o qual eu mais dividi ideias e ideais, e seu amigo. Meus dois primos que tenho como irmãos de vida e que convivemos juntos desde pequenos, responsáveis por me apresentarem a banda a uns 11 ou 12 anos atrás. E a minha namorada. Que me acompanha até o inferno se for preciso e que mais do que isso se apaixonou pela banda quando eu a mostrei.

Além disto, havia encontrado um casal de amigos, dentro do estádio onde o show iria acontecer. Também estava no local uma amiga de infância mas, infelizmente, não consegui encontra-la no meio daquela multidão.

Por fim, parecia tudo perfeito. Meus irmãos de vida, amigos no qual passei anos dividindo ideias, conhecimento e ideologias e a Mulher que eu Amo.

img-20190518-wa00392898554909215083228.jpeg

Bom. Então o show começou. E tudo aquilo que pensei, de que não haveria borboletas no estomago, emoções descontroladas e ansiedade, mudou.

Acabamos nos enfiando no meio do povo até o mais próximo do palco possível. Cantamos. Gritamos. Ficamos sem voz. Nos abraçamos, pulamos e nos debatemos. Toda aquela energia ainda era a mesma depois de tantos e tantos anos. E mesmos que os barbudinhos parecessem um tanto velinhos em cima do palco ainda sim cantavam com toda força de vontade. Havia sinceridade na voz daqueles caras.

Praticamente duas horas e meia de show, uma visita por todos os quatro CD’s da banda. Por todas as suas fases. Por todas as nossas fases. A cada música memórias e mensagens voltavam e vinham a tona. O tempo que dividimos e ainda vamos dividir. Los Hermanos é uma banda histórica. Odiada por uma multidão, sim! Mas que após anos longe da mídia, sem produzir novos discos, consegue lotar estádios pelo país inteiro e gravar fundo suas letras na memória de seus fãs!

E isso é o foda sabe? É passar anos longe mas quando se está lá parece que nunca esteve tão perto. Todas aquelas letras que a tempos e tempos não havia escutado ou cantado saiam simplesmente da nossa boca, de todos nós. Como se nunca tivéssemos deixado de canta-las.

 

“Eu só aceito a condição de ter você só pra mim..
Eu sei não é assim,
Mas deixa eu fingir.. E rir!”

Anúncios

Pra guardar e lembrar

Pois existe aquilo
Que não se perde
E não se esquece

Do tipo que a gente insiste
Não desiste
E se guarda

Faz aquele esforço!
Pra manter vivo
Pra fazer tudo acontecer
De novo ~~

Conteúdo

Eu decidi que ter um blog deve ultrapassar apenas o intuito de me comunicar com N pessoas desconhecidas de qualquer lugar do mundo.

Não tenho a minima qualidade para desenvolver um Blog focado a um assunto que tenha objetivos claros para o que e para quem se comunicar.

Então vou utilizar esse mini espaço online para simplesmente escrever. Ser um refugio de treino para melhorar a comunicação, ou simplesmente aonde eu possa expressar de qualquer que seja a forma tudo aquilo que desejar.

As vezes sinto uma imensa vontade de perguntar a cada blog que visito: Hey por que você se esforça para manter esse blog ativo?

O Crime Sem Castigo já viu dias melhores, como também vivenciou dias muito piores. A interação é bem rasa por aqui no momento, fazer o que se de tempos em tempos eu jogo o Blog ao vento.

Mas se caso você conseguiu ter perseverança para ler até o Final ficaria muito feliz se pudesse deixar a resposta da pergunta que fiz acima. Me convence que vale a pena manter esse espaço vivo vai ~~

Divino Feminino

femini

Da page: Divino Feminino

Aceite de onde vens
Aceite para onde vais
Acende o teu corpo
Faça dele teu cais
Transcende seu oposto
Torna-te inteira
Mulher
Tu és
Tudo aquilo que pensares
Tudo aquilo que sentires
Tudo aquilo que quiseres
Tudo aquilo que clamastes
Tu és
Muito além do que disseram
Muito mais do que te deram
Sem limites para o ser
Bem mais do que ter
És o anseio de viver
De ti vem à luz da vida
De ti vem o sangue sagrado
Aquele que desce sem violência
Aquele que entrega o seu chamado
Tu nasceste para ser forte em delicadeza
Sábia por natureza
Gentileza que gera gentileza
Magia. Mistério
Para outros e para ti mesma
Mas cabe à ti resgatar tua essência
E ser o que és em plena consciência.

Autora: Evy Bonani

Vento em Esperanto!

vento

Por: Mauricio Lahan Jr

Eu não fico pedindo comentários nos meus textos (isso aconteceu apenas uma vez) mas dessa vez eu gostaria que todos que pudessem ler esse post fizessem um comentário sobre o trabalho do pessoal que vou apresentar aqui 😀

Fiz uma pequena entrevista com o vocalista de uma banda do caralho que conheci! Eeeeeeee acho realmente importante divulgar, apoiar e incentivar o sonho de bandas independentes, afinal este um dia foi o meu sonho também ~~

  • Vamos la! Qual seu nome e o que te motivou a tocar numa banda?

Olá, eu sou o Vitor Hugo, sou vocalista e guitarrista da Vento em Esperanto. Bom eu sempre tive uma “quedinha” por musica, desde pequeno eu já cantava e fazia altos barulhos em casa. O ambiente onde moro sempre foi cercado por musica, das mais variadas. O meu irmão mais velho foi membro de um grupo musical e eu sempre quis aquilo para mim. Então desde pequeno eu sentia que a musica me trazia sentimentos diferentes.

  • Quantos integrantes fazem parte do Vento em Esperanto? Pretendem aumentar o numero?

A banda é bem grande, o formato principal conta com 4 membros e mais um amigo no trompete, agora vamos contar com mais uns companheiros que iram gravar o próximo disco conosco.

  • Foi você que teve a ideia de iniciar a banda?

Sim, eu tinha deixado minha banda antiga e partir para fazer um som novo.

  • Quem escreve as letras? E as musicas?

Bom, eu componho a maioria dos sons, mas os outros integrantes também possuem algumas letras. A melodia eu costumo compor junto com a letra, mas eles sempre ajudam a dar energia para o som.

  • O que você gostaria de adicionar a sua banda? Algo que você ainda sente falta.

Eu acho que quando um instrumento é bem tocado, quando conta com amor e dedicação, ele sempre soma no som. Independentemente de ter sido ou não usado naquele estilo. O nosso som me agrada muito, mas se pudesse contaria com mais instrumentos, formaria uma big Band.

  • Sobre o mundo da noite. Existe uma disputa grande entre bandas novas e bandas covers?

Não diria disputa, mas você tem uma espécie de tradição em diversas casas de show. Por exemplo, uma casa de show que costuma receber bandas que tocam apenas covers, ao receber uma banda que faz som próprio sofre um estranhamento. Muitas vezes aquele publico espera por “mais do mesmo” e não estão afim de ouvir novos sons. No nosso caso levantamos a cabeça e tocamos nosso som com a maior energia.

  • O FaceBook é Melhor que a Mtv?

A mtv revelava muita gente não é ? Muitos conheciam bandas por ali, mas sabemos que muitas coisas envolvem a entrada de uma banda na mídia( ate mesmo a mtv). Eu acho o Facebook um pouco mais independente, você convive com o acesso livre e, as vezes com pessoas que curtem seu som sem ter ouvido. Mas faz parte !

  • Como você define o estilo de suas músicas?

Eu tento, mas não consigo. Não tenho habilidade para isso. Porem, as pessoas já fizeram algumas definições, por exemplo: Pós-tropicalista, soul, blues, mpb, indie. Acho que somos um pouco de tudo isso.

  • Tem algo grande que você gostaria de conquistar pela sua banda?

Gostaria de conquistar pessoas, passar a mensagem, sentir que o nosso som possui um significado ou que desperta sentimentos.

  • Conte-nos 3 grandes inspirações

As três principais para mim são: Lenine, novos baianos e caetano veloso.

  • Bonus Stage! Se alguém gritar você toca Raul?

*Risos* Difícil, essa brincadeira sempre chega de uma maneira mais forte por que o baterista se chama Raul, então já deu para imaginar né ? Eu toco mais uma do Caetano e fica tudo certo.

  • Espaço aberto! Fale qualquer coisa que quiser ~~

Enfim, a Vento em Esperanto é uma banda nova, com ideias novas e que deseja conquistar o coração e ouvidos de muitos. Sempre faremos nosso som com dedicação e pedimos liberdade para aqueles que querem demonstrar o talento. Acho que temos que nos permitir mais, dar mais oportunidades. Tem uma galera boa por ai!

Foi muito bacana fazer essa entrevista! O Vitor foi muito receptivo e desejo todo o sucesso a galera e ao trabalho deles.. Agora quero todo mundo cantando comigo “Maaaaalllíiiccciaaaa” ~~

FaceBook: Vento Em Esperanto

Curtam e Compartilhem ❤

PRÊMIO DARDOS

Prêmio Dardos é uma espécie de selo virtual criado em 2008 pelo escritor Alberto Zambade, autor do blog Leyendas de “El Pequeño Dardo” El Sentido de las Palabras. Ele selecionou e indicou o selo a quinze blogs que ele considerou merecedores do prêmio, os quais também indicaram outros 15 e assim sucessivamente, criando uma imensa corrente na internet.

prc3aamio-dardos

O objetivo do Prêmio Dardos é reconhecer os esforços de blogueiros, a cada dia, para transmitir princípios culturais, éticos, literários, pessoais etc., manifestando a criatividade através de seus pensamentos presentes em suas palavras e textos.

  • Regras do Prêmio Dardos
    Indicar os blogs que preencham os requisitos acima para receber o prêmio.
  • Exibir a imagem do selo.
  • Mencionar o blog de que recebeu a indicação e pôr o link dele.
  • Avisar aos blogs escolhidos.

Nós do “Crime sem Castigo” agradecemos imensamente o reconhecimento da Equipe do Blog “Lendo Muito“! O Crime sem Castigo nasceu com a ideia de defender a escrita livre, acreditando que não é necessário ser um Best Seller para se criar conteúdos produtivos e de grande valor. Por isso nós nos sentimos muito contentes pelo reconhecimento, mesmo tendo nossa forma de escrita aberta e sem culpa.

PS: Possivelmente Blogs aqui citados já devem ter recebido o mesmo reconhecimento, mas acredito que ainda permanece o valor de prestar a mesma homenagem 🙂

Blog Outras Estorias

Blog Since 85

Blog Desconstruindo Tati

Blog Yellow

Blog Nunca será Dois

Blog do Matheus de Souza

Blog Acasos

Blog Quase em Crise?

Blog Projeto Existir

Blog Antonais do Silencio

Blog Reino das Palavras

Blog Loucuras de Júlia

Blog Planning My Nomadic Life

Blog Odeio Sagu

Blog As Meninas do Cabelo Laranja

Os blogs que escolhi são de temas e assuntos variados, porém ao meu ver possuem uma escrita maravilhosa e muito cativante ~~

Foi em 1 de Junho de 2012

los

Por: Mauricio Lahan Jr

* Aquele Play bacana la embaixo 😉

-Cade seu RG?

-Eu não trouxe!

“Eu encontrei-a quando não quis
Mais procurar o meu amor”

Era assim. Totalmente imprevisível!

-Mas relaxa que a gente da um jeito de entrar de qualquer forma.

A casa estava cheia. Afinal os barbudinhos não tocavam mais juntos a muito tempo. Era o tipo de evento que você tinha obrigação de ir, pois talvez não houvesse outra oportunidade.

“E ninguém dirá que é tarde demais
Que é tão diferente assim
Do nosso amor a gente é que sabe, pequena”

Fomos até o bar. Pedimos uma Heineken e uma dose de Whisky, puro apenas com gelo. Voltamos ao meio do povo. Eu sorria, igual um idiota, para tentar relaxar. Pode parecer estranho, afinal tínhamos anos de amizade, mas eu ainda ficava meio sem jeito perto dela. Não sabia exatamente o que estava pensando, mesmo sempre me dizendo que eu a entendia como ninguém.

“Ah, vai
Me diz o que é o sufoco
Que eu te mostro alguém
A fim de te acompanhar”

A música era a melhor possível! Algo que estava em nós dois. Que nos fazia viajar longe. Que nos separava do resto do mundo.

Não me lembro bem se foi eu quem a puxou ou se foi ela que me enlaçou.

“Eu encontrei-a e quis duvidar
Tanto clichê, deve não ser
Você me falou pr’eu não me preocupar
Ter fé e ver coragem no amor”

Mas sei que estávamos bem juntinhos. Olhares fixos e sorrisos largos. Sentindo nossa respiração. E, sem ter como explicar, o lugar pareceu tão vazio. Só havia a musica. Cantávamos em nossas bocas. Aquela musica…

“Ah, vai
Me diz o que é o sossego
Que eu te mostro alguém
A fim de te acompanhar
E se o tempo for te levar
Eu sigo essa hora e pego carona
Pra te acompanhar”

É… Já se faz tantos anos. E no fim… acho que perdi a hora afinal.