Música e o Cotidiano – I

Bolsonazi

– Pensei em criar uma série aqui no blog sobre musicas que podem falar algo sobre nossos tempos, nosso cotidiano. Espero que fique legal (:

Baby, compra o jornal
E vem ver o sol
Ele continua a brilhar
Apesar de tanta barbaridade

Baby, escuta o galo cantar
A aurora dos nossos tempos
Não é hora de chorar
Amanheceu o pensamento

O poeta está vivo
Com seus moinhos de vento
A impulsionar
A grande roda da história

Mas quem tem coragem de ouvir

Amanheceu o pensamento
Que vai mudar o mundo
Com seus moinhos de vento

Se você não pode ser forte
Seja pelo menos humana
Quando o papa e seu rebanho chegar
Não tenha pena

Todo mundo é parecido
Quando sente dor
Mas nu e só ao meio dia
Só quem está pronto pro amor

O poeta não morreu
Foi ao inferno e voltou
Conheceu os jardins do Éden
E nos contou

Mas quem tem coragem de ouvir
Amanheceu o pensamento
Que vai mudar o mundo
Com seus moinhos de vento

Mas quem tem coragem de ouvir
Amanheceu o pensamento
Que vai mudar o mundo
Com seus moinhos de vento

O poeta não morreu
Foi ao inferno e voltou
Conheceu os jardins do Éden
E nos contou

Mas quem tem coragem de ouvir
Amanheceu o pensamento
Que vai mudar o mundo
Com seus moinhos de vento

Mas quem tem coragem de ouvir
Amanheceu o pensamento
Que vai mudar o mundo
Com seus moinhos de vento

– O Poeta Está Vivo – Barão Vermelho.

Anúncios

Professores e Bolsonaro

Já faz algum bom tempo que um vídeo, mostrando um professor ameaçando tirar 2 pontos da nota de alunos que falassem sobre Bolsonaro, viralizou na internet.

Por incrível que pareça eu só o vi a alguns dias. Pensei sobre o assunto e visualizei a gravação várias vezes, decidindo assim que seria importante escrever, sobre, aqui no blog.

Não vou entrar no mérito de falar em relação a atitude do professor. O mundo não é um binarismo de certo ou errado, onde existe uma cartilha sobre como viver a vida. Aquele foi um momento no qual, emocionalmente fragilizado, o senhor professor perdeu completamente o controle da situação e precisou se expressar da forma que conseguiu. A questão aqui é refletir sobre como seria estar na pele daquele homem.

Para um educador chegar ao nível de estresse, demostrando no vídeo, é por ter muito a dizer e sentir. E me deixa triste a forma na qual como isso é ironizado.

As questões políticas por muitos são irrelevantes e por outros tantos o que importa é apenas sua própria opinião. Isso é raso. Opinião não se constrói a partir de “achismos“. É preciso ter base e argumentação, não apenas convicção e fé.

O pior é o julgamento online que colocou o professor como petista comunista e afim apenas para desqualifica-lo, como se fosse preciso ser militante de esquerda para ser contra um boçal como o “Mito”.

Vou deixar o link do vídeo aqui para cada um poder refletir sobre o caso e depois vou escrever sobre essa monstruosidade que se chama “Respeitar minha opinião” que está servindo de muleta para justificar alienação com Democracia.

A Faca e o Mito

Bolso

É. Esse é mais uma das milhões de opiniões que pipocaram na internet. E aposto que já deve ter ouvido muitas e muitas opiniões repetidas. Essa aqui não é diferente, porém não a torna menos necessária.

Na data de ontem, dia 07, Bolsonaro foi esfaqueado. E aqui não importa se ele foi mesmo, se foi armação ou o que quer que seja. A ideia é discutir sobre a Faca em si.

Bolsonaro é um entre tantos outros políticos que estão apoiando e dando voz a ideia da liberação da venda de armas no Brasil. Eu não vou ficar discutindo se é certo ou errado, se o país X tem Armas e o Y não tem.

A unica coisa que eu quero deixar aqui é: O cara que esfaqueou Bolsonaro poderia muito bem ter uma arma.

Eu só quero deixar isso, algo que você vai encontrar em muitos lugares, mas mesmo assim deve ser martelado uma e outra e outra vez. A questão não é estatísticas mas é que simplesmente se você votar em alguém que vai legalizar a poha toda então fique bem sabendo que a morte de outra pessoa pode ser responsabilidade sua. Paz não se produz com armas e aquele ocorrido com os Tomahawlks é exemplo disso (não lembra? Eu escrevi sobre, da um clique aqui) e lembre-se ali Donald Trump também usava a Paz como justificativa.

Por fim, também espero que não me venham com Papinho de polarização entre esquerdas e direitas. Para os desavisados Lênin defendia a liberação total de armas para toda a população, vocês encontrarão isso em “Estado e Revolução”. Obviamente para não se cometer um anacronismo devemos colocar uma porção de virgulas e aspas nessa afirmação, mas em suma não devemos ficar comparando X e Y de exemplos, devemos sim olhar para a nossa sociedade, para nossas dificuldades e o nosso tempo. Não é difícil perceber que para combater a violência existem muitos e muitos meios e nenhum deles envolve com a liberação da venda de armas.