Professores e Bolsonaro

Já faz algum bom tempo que um vídeo, mostrando um professor ameaçando tirar 2 pontos da nota de alunos que falassem sobre Bolsonaro, viralizou na internet.

Por incrível que pareça eu só o vi a alguns dias. Pensei sobre o assunto e visualizei a gravação várias vezes, decidindo assim que seria importante escrever, sobre, aqui no blog.

Não vou entrar no mérito de falar em relação a atitude do professor. O mundo não é um binarismo de certo ou errado, onde existe uma cartilha sobre como viver a vida. Aquele foi um momento no qual, emocionalmente fragilizado, o senhor professor perdeu completamente o controle da situação e precisou se expressar da forma que conseguiu. A questão aqui é refletir sobre como seria estar na pele daquele homem.

Para um educador chegar ao nível de estresse, demostrando no vídeo, é por ter muito a dizer e sentir. E me deixa triste a forma na qual como isso é ironizado.

As questões políticas por muitos são irrelevantes e por outros tantos o que importa é apenas sua própria opinião. Isso é raso. Opinião não se constrói a partir de “achismos“. É preciso ter base e argumentação, não apenas convicção e fé.

O pior é o julgamento online que colocou o professor como petista comunista e afim apenas para desqualifica-lo, como se fosse preciso ser militante de esquerda para ser contra um boçal como o “Mito”.

Vou deixar o link do vídeo aqui para cada um poder refletir sobre o caso e depois vou escrever sobre essa monstruosidade que se chama “Respeitar minha opinião” que está servindo de muleta para justificar alienação com Democracia.

Anúncios