Foi em 1 de Junho de 2012

los

Por: Mauricio Lahan Jr

* Aquele Play bacana la embaixo 😉

-Cade seu RG?

-Eu não trouxe!

“Eu encontrei-a quando não quis
Mais procurar o meu amor”

Era assim. Totalmente imprevisível!

-Mas relaxa que a gente da um jeito de entrar de qualquer forma.

A casa estava cheia. Afinal os barbudinhos não tocavam mais juntos a muito tempo. Era o tipo de evento que você tinha obrigação de ir, pois talvez não houvesse outra oportunidade.

“E ninguém dirá que é tarde demais
Que é tão diferente assim
Do nosso amor a gente é que sabe, pequena”

Fomos até o bar. Pedimos uma Heineken e uma dose de Whisky, puro apenas com gelo. Voltamos ao meio do povo. Eu sorria, igual um idiota, para tentar relaxar. Pode parecer estranho, afinal tínhamos anos de amizade, mas eu ainda ficava meio sem jeito perto dela. Não sabia exatamente o que estava pensando, mesmo sempre me dizendo que eu a entendia como ninguém.

“Ah, vai
Me diz o que é o sufoco
Que eu te mostro alguém
A fim de te acompanhar”

A música era a melhor possível! Algo que estava em nós dois. Que nos fazia viajar longe. Que nos separava do resto do mundo.

Não me lembro bem se foi eu quem a puxou ou se foi ela que me enlaçou.

“Eu encontrei-a e quis duvidar
Tanto clichê, deve não ser
Você me falou pr’eu não me preocupar
Ter fé e ver coragem no amor”

Mas sei que estávamos bem juntinhos. Olhares fixos e sorrisos largos. Sentindo nossa respiração. E, sem ter como explicar, o lugar pareceu tão vazio. Só havia a musica. Cantávamos em nossas bocas. Aquela musica…

“Ah, vai
Me diz o que é o sossego
Que eu te mostro alguém
A fim de te acompanhar
E se o tempo for te levar
Eu sigo essa hora e pego carona
Pra te acompanhar”

É… Já se faz tantos anos. E no fim… acho que perdi a hora afinal.

Stand By Me

xaxaxa

Por: Mauricio Lahan Jr

* Tem que dar Play ali embaixo 😉

– Lembra do molho com azeitonas?

Eu era uma criança cheia de paixões! Tinha tantas idéias e tantos futuros passando pela minha cabeça. Mas um dia meu grande castelo se quebrou e eu pensei que não haveria nada mais a frente.

Você apareceu. Me levou para conhecer sua casa, dividiu segredos, medos e uma cama. Passamos por dias e noites, por extremos sorrisos e medos.

Mas não deu certo. Nem mesmo depois de tantas Tequilas. Você não sabia o que sentia – ou sabia e eu não entendia. Pediu um tempo, dois tempos, três tempos. Me quis uma vez de volta, duas vezes. Apenas duas vezes.

“So what’s the matter with you?
Sing me something new
Don’t you know?
The cold and wind and rain don’t know
They only seem to come and go away.”

Sempre tao impulsiva. Eu te disse isso naqueles dias. E você me disse isso nestes dias de hoje.

Foram tantas as coisas que aprendi nestes últimos anos.

Você vai embora de novo? Eu sei. Eu fugi antes. Mas o que esperava de mim? Vai me deixar estar por perto? Vai ficar por perto?

Não. Talvez não se importe mais. Talvez não tenha feito diferença.

“Times are hard
When the things have got no meaning
I’ve found a key upon the floor
Maybe you and I will not believe
In the things we find behind the door”

Eu deixei de lado as paixões e o futuro. Não sou mais uma criança. E hoje meu pequeno quarto é muito seguro.

Eu te escrevi um poema certa vez. Você jogou fora. Eu nunca esqueci. Do seu molho com azeitonas ou das doses de tequila. Não da pra esquecer o café que você preparava em algumas manhãs. As quentes e intensas madrugadas.

Por que você voltou se não foi para ficar do meu lado?

“If you’re leaving, will you take me with you?
I’m tired of talking on my phone
There is one thing I could never give you
My heart will never be your home”

Conselho que ela precisa ouvir

ababa

Por: Mauricio Lahan Jr

– Doido de Pedra!
Veio com papo estranho,
Querendo fugir, se mudar!
Ir pra bem longe,
Trocar de nome,
E nunca mais voltar!

– Boba você Menina!

– E por qual motivo?

– Pois ouviu palavras,
Mas não teus significados.
O rapaz não quer fugir!
Apenas anseia uma nova vida,
Tendo você ao seu lado.