Cigarro

fumaca-cigarro

A que ponto meu Deus?!
A que ponto pude chegar?

Cresceu, em mim, um coração!
Feito apenas de sentimentos
Que em todas as noite quase morre de Desejos.

Ao provar tantas Saudades
De noites em abraços
Sentindo o cheiro do seu cigarro

Anúncios

Quando te desejei longe

zaza

Por: Mauricio Lahan Jr

Eu
A cada vez que te vejo tomar um caminho
Escolho seguir seu oposto.

Por vezes,
Quiçá,
Descubro onde te encontrar.

[entre tantos acasos]
Me afasto em matéria
Deixo passar.

Enquanto em mim guardo o desejo
De porventura um dia
Voltar a te abraçar.

Foi em 1 de Junho de 2012

los

Por: Mauricio Lahan Jr

* Aquele Play bacana la embaixo 😉

-Cade seu RG?

-Eu não trouxe!

“Eu encontrei-a quando não quis
Mais procurar o meu amor”

Era assim. Totalmente imprevisível!

-Mas relaxa que a gente da um jeito de entrar de qualquer forma.

A casa estava cheia. Afinal os barbudinhos não tocavam mais juntos a muito tempo. Era o tipo de evento que você tinha obrigação de ir, pois talvez não houvesse outra oportunidade.

“E ninguém dirá que é tarde demais
Que é tão diferente assim
Do nosso amor a gente é que sabe, pequena”

Fomos até o bar. Pedimos uma Heineken e uma dose de Whisky, puro apenas com gelo. Voltamos ao meio do povo. Eu sorria, igual um idiota, para tentar relaxar. Pode parecer estranho, afinal tínhamos anos de amizade, mas eu ainda ficava meio sem jeito perto dela. Não sabia exatamente o que estava pensando, mesmo sempre me dizendo que eu a entendia como ninguém.

“Ah, vai
Me diz o que é o sufoco
Que eu te mostro alguém
A fim de te acompanhar”

A música era a melhor possível! Algo que estava em nós dois. Que nos fazia viajar longe. Que nos separava do resto do mundo.

Não me lembro bem se foi eu quem a puxou ou se foi ela que me enlaçou.

“Eu encontrei-a e quis duvidar
Tanto clichê, deve não ser
Você me falou pr’eu não me preocupar
Ter fé e ver coragem no amor”

Mas sei que estávamos bem juntinhos. Olhares fixos e sorrisos largos. Sentindo nossa respiração. E, sem ter como explicar, o lugar pareceu tão vazio. Só havia a musica. Cantávamos em nossas bocas. Aquela musica…

“Ah, vai
Me diz o que é o sossego
Que eu te mostro alguém
A fim de te acompanhar
E se o tempo for te levar
Eu sigo essa hora e pego carona
Pra te acompanhar”

É… Já se faz tantos anos. E no fim… acho que perdi a hora afinal.

E o amanhã cade?

Por: Mauricio Lahan Junior

Hoje eu acordei meio assim, sem conseguir pensar no amanhã. Por que será? Por não querer saber como vai ser? Por não ter ideia de como será? Ou talvez seja por desejar permanecer no hoje?
Hoje eu acordei meio assim, com saudades daquela Morena. Dos risos bobos e despreocupados. Do perfume atraente e de sua pele quente. Meio com o peito cheio de saudade.
Hoje é um daqueles dias que o café te tranquiliza e a musica te relaxa. Dia de tempo frio, sem muito sol, agradável para uma boa leitura, um pouco de estudos.
Hoje é um daqueles dias que não foram feitos para se pensar no amanhã, sobre aquilo que vem depois, mas sim em aproveitar o que temos no agora, no momento.

“É pode ser que a maré não vire”

E talvez aquele momento não se repita.

“Pode ser do vento vir contra o cais”

E a tempestade volte a nos cercar

“E se já não sinto os teus sinais”

Então não me culpe se não lhe guardo mais esperanças

“Pode ser da vida acostumar”

Será?